Como saber se o carro teve a sua quilometragem adulterada

Imagem para ilustrar o texto sobre quilometragem adulterada

A quilometragem adulterada é um pesadelo para os brasileiros que querem comprar um carro seminovo. Será que os veículos que despertam o seu interesse realmente possuem a qualidade anunciada pelo vendedor? Muitas revendas de carros seminovos exploram a fraude da quilometragem adulterada para aumentar o valor dos veículos vendidos e acabam passando o consumidor para trás. 

Apesar de ser considerada pela justiça uma prática criminosa, sem prejuízo das questões morais e éticas, muitas empresas e particulares continuam usando da prática para obter vantagem sobre o valor do bem, como falamos acima.

Isso se dá pelo fato do “mercado” ter pouca receptividade com veículos de alta quilometragem, considerando como parâmetro para boa qualidade do bem o fato do carro ter “rodado” pouco. Contudo, sabe-se que a quilometragem constante no hodômetro não é sinal de qualidade. Há muitos veículos com baixa quilometragem de péssima qualidade, assim como há veículos bastante “rodados” de ótima qualidade. Tudo depende da conservação, dos cuidados do motorista, das revisões periódicas e etc.

Essa prática remonta a década de 90, onde os hodômetros eram analógicos e não havia meios suficientes para detectar a fraude, bem como a falta de legislação criminalizando tal prática. Hoje, porém, com o crescimento da tecnologia e hodômetros digitais, há como saber se o lacre foi rompido, se a centralina foi “resetada” e se o procedimento deixou vestígio. Para evitar cair nesses golpes, preparamos, a seguir, algumas dicas para identificar se o carro teve a quilometragem adulterada. Confira e aprenda como identificar:

Leia também: CNH para Uber: o que é preciso para se tornar um motorista de aplicativo

Fique de olho no desgaste do veículo

Imagem para ilustrar o texto sobre quilometragem adulterada

A primeira dica é básica. Sejamos francos, se o veículo aparentar estar mais gasto do que deveria em relação à quilometragem que ele marca, é sinal de quilometragem adulterada. Ou sinal de que o seu antigo dono usava o carro de qualquer jeito, o que também não é bom. Fique de olho nos pedais de aceleração, de freio e de embreagem, nos batentes de portas, nas borrachas e nos tapetes de chão. Essas partes condizem com o número de quilômetros exibidos no hodômetro.

Consulte o Detran para ter mais informações

O site do Detran fornece informações sobre o veículo. Por lá, dá para consultar as multas desse veículo, quantos donos ele já teve e outras informações.

Observe o estado do painel

Imagem para ilustrar o texto sobre quilometragem adulterada

Danos específicos próximos ou no painel são sinais de possível adulteração. Fique de olho em parafusos soltos ou em falta nessa região e arranhões na área do hodômetro.

Atente-se aos registros de manutenção

Você sabe que a cada 5 ou 10 mil km percorridos, algumas peças precisam ser substituídas. Se o veículo apresentado estiver com a quilometragem muito baixa, confira essas peças para ver se elas estão novas ou intactas. Entre elas, verifique a bateria, as pastilhas de freio e as mangueiras. Se tiver algo errado, pode significar que o veículo teve sua quilometragem adulterada.

Faça um test drive no veículo

Além de sentir realmente o estado de conservação do veículo, você pode ativar o velocímetro do seu GPS e comparar com o do carro. Discrepâncias em excesso entre as duas velocidades podem indicar que o carro teve sua quilometragem adulterada.

Inspecione o veículo junto com o seu mecânico

Imagem para ilustrar o texto sobre quilometragem adulterada

Nós, motoristas, devemos ter sempre um mecânico de confiança. Esse profissional, em quem você pode confiar, vai te ajudar a olhar o veículo usado ou seminovo que você deseja comprar. Ele buscará sinais de quilometragem adulterada e pode até mesmo usar um scanner profissional para encontrar inconsistências entre o hodômetro e os dados armazenados pelo veículo.

Observe a quilometragem do manual

Imagem para ilustrar o texto sobre quilometragem adulterada

O veículo a ser comprado deve ter passado por todas as revisões juntamente à sua fabricante, pois assim você tem a garantia de comprar um automóvel em bom estado. Peça para ver o manual e confira as revisões, pois lá as quilometragens estão anotadas.

Leia também: Conheça 9 multas curiosas que você está sujeito a tomar e nem imaginava

Observe os pneus

Um conjunto de pneus dura entre 40 mil e 60 mil km, então se o carro tem menos quilometragem que isso, é de se esperar que esteja com o conjunto original. Para verificar isso, é necessário olhar a data de fabricação do pneu que está gravada nele. Existe a sigla DOT e, após ela, quatro números, os dois primeiros são a semana do ano e os outros dois são o ano de fabricação.

Parte dianteira

A parte dianteira do veículo encara o vento de frente, literalmente. Por isso, acaba se desgastando mais devido à alta quilometragem. Sendo assim, é preciso analisar o estado da grade e dos faróis, que devem estar brilhantes. Já a placa dianteira não deve apresentar pontos de ferrugem e nem falta de brilho. Outra dica é verificar o capô em busca de pequenas marcas de pedriscos. Em geral, essa característica denuncia um carro que roda muito em estradas e que pode estar com alta quilometragem.

Correias

As correias são feitas de borracha e, em geral, duram 40 ou 50 mil quilômetros. É muito raro que um desses componentes apresente desgaste antes disso.

Para saber se as correias estão funcionando bem, ligue o carro e abra o capô. Aproxime o ouvido em busca de um ruído agudo, quase como um assobio fino. Geralmente, esse é um sinal de que as correias estão prestes a se arrebentar e de que o seu carro pode estar com a quilometragem adulterada.

Pintura

A tecnologia empregada na construção dos carros atuais dá pouco espaço para o surgimento de pontos de ferrugem, mesmo que haja acúmulo de água. Se essa característica estiver presente, não é apenas sinal de alta quilometragem, mas de falta de cuidado do antigo dono. Veja também se o brilho da pintura está em dia. Geralmente, um polimento pode ajudar a disfarçar eventuais problemas, mas as características originais do carro dificilmente podem ser comparadas. Se ficar em dúvida, procure em uma concessionária o modelo atual do carro que você quer comprar e dê uma olhada na tonalidade da tinta. Essa é uma boa dica para identificar se o seu carro teve a quilometragem adulterada. 

Seguindo essas dicas, você provavelmente conseguirá perceber qualquer tentativa de fraude e se o veículo que você pretende adquirir teve a quilometragem adulterada. Mas lembre-se: a ajuda de um profissional é sempre indicada e pode fazer toda a diferença na hora de fechar um negócio. Se você gostou do nosso artigo sobre como saber se o carro teve a sua quilometragem adulterada, não deixe de compartilhar nas redes sociais e ajude outras pessoas. Até mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1
Olá, tudo bem? Como podemos ajudar? :)
Powered by